Aspecto político da contracepção

A discussão deste tema não mais se restringe a saber quando começa a vida, nem à liberdade de o casal determinar quantos filhos podem criar e educar. Os cientistas, os pró-vidas, os defensores do aborto e o público de uma maneira geral já sabem que a vida começa com a concepção. Por outro lado, os controlistas dizem que os pais têm a liberdade de escolher quantos filhos querem ter. O problema restringe-se a analisar o aspecto político da questão.

A promoção do aborto e da contracepção e a sua legalização estão ligados a interesses políticos dos países ricos e à melhoria da raça humana, defendida por grupos eugénicos. Disso nos dão conta inúmeros documentos, além do já citado “ Relatório Kissinger ”.

Para se ter uma ideia, as recomendações daqueles documentos materializam-se nos “Projectos de População” publicados pelo “Fundo de População das Nações Unidas (FNUAP)” para todo o Terceiro Mundo. Só para o Brasil foram investidos oficialmente pelos grupos de controle de população 836 milhões de dólares, nestes últimos 5 anos. Isso sem contar os recursos “extra-orçamentários” destinados ao “lobby” do aborto e da contracepção no Congresso Nacional e os destinados a algumas organizações anti-vida como as “Católicas pelo Direito de Decidir”.

De entre os projectos para o Brasil estão: Curso de formação de professores de educação sexual, distribuição de contraceptivos, recursos para os meios de comunicação social, apoio a congressos, seminários, etc. – onde se discute a legalização do casamento de homossexuais, aborto, educação sexual -, recursos destinados a movimentos feministas, ao “lobby” no Congresso Nacional, etc., etc.

Entre as organizações financiadoras desses projectos estão: a UNICEF, o FNUAP, a OMS, UNIFEM, e entidades como a IPPF, a USAID, Fundação Ford, Fundação Mc Arthur, Fundação Rockfeller e outras.

No Brasil encontramos, como executores dessa política, várias organizações feministas, universidades, governos federal, estadual e municipal. Os promotores do aborto e da contracepção estão nas ante-salas do Poder e nos gabinetes de dirigentes.

————————————————

A defesa da vida e da família

Subsídios para reflexão

Prof. Humberto L. Vieira

Presidente da Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família

Membro da Pontifícia Academia para a Vida

PROVIDAFAMÍLIA

providafamilia.org