Desenvolvimento embrionário – resumo

Semana 0
A concepção é o momento no qual o esperma penetra no óvulo. Uma vez fertilizado denomina-se zigoto, até que alcance o útero 3-4 dias mais tarde.

Semana 2
O embrião pode flutuar livremente no útero por 48 horas, antes da implantação. Após a implantação, ligações complexas entre a mãe e o embrião desenvolvem-se para formar a placenta.

Semana 4
O embrião tem 4-6 mm de comprimento. Um coração primitivo começa a bater. Cabeça, boca, fígado e intestinos começam a tomar forma.

Semana 8
O embrião tem agora cerca de 25 mm de comprimento. Traços faciais, membros, mãos, pés, dedos e unhas tornam-se aparentes. O sistema nervoso está receptivo e muitos dos órgãos internos começam a funcionar.

Semana 12
O feto tem agora 5-8 cm de comprimento e pesa quase uma onça (28,35 gramas) – 10-45g. Os músculos começam a desenvolver-se e os órgãos sexuais a formar-se. Começam também a formar-se as pálpebras, as unhas das mãos e as unhas dos pés.
Podem ser observados movimentos espontâneos da criança.

Semana 16
O feto tem agora cerca de 9-14 cm de comprimento. A criança pestaneja, agarra e move a sua boca. O cabelo cresce na cabeça e o pêlo no corpo.

Semana 20
O feto pesa agora aproximadamente 250-450 g e mede cerca de 15-19 cm da cabeça aos pés. As glândulas sudoríferas desenvolvem-se e a pele exterior transformou-se de transparente em opaca.

Semana 24
O feto agora pode inalar, exalar e até chorar. Os olhos estão completamente formados e a língua desenvolveu o gosto. Sob cuidados médicos intensivos, o feto tem mais de 50% de hipóteses de sobreviver fora do útero.

Semana 28
O feto, geralmente, é capaz de viver fora do útero da mãe e será considerado prematuro à nascença.

Semana 38
Isto marca o final do período normal de gestação. A criança está agora preparada para viver fora do útero da sua mãe

Descreve-se aqui o desenvolvimento típico do embrião ou do feto segundo o critério dos embriologistas – os especialistas nesta matéria -, ou seja, contando o tempo a partir do momento da concepção. Os obstetras, porém, como não é fácil determinar com exactidão quando acontece a concepção, contam “as semanas de gravidez” a partir do primeiro dia do último ciclo menstrual da mulher (que acontece sensivelmente duas semanas antes da concepção).

Fonte: Introduction to Child Development (Introdução ao Desenvolvimento da Criança), 6ª Ed., John Dworetzky, West Publishing Company, San Francisco, CA, 1996, p. 70-75.