Métodos contraceptivos hormonais

A que nos referimos ao falar de métodos hormonais?

Ao falar de métodos hormonais estamo-nos a referir a uma série de métodos contraceptivos que consistem na administração de diferentes tipos de hormonas.

O que é a chamada “pílula”?

Em geral chama-se “pílula” a uma série de fármacos constituídos por dois tipos de substâncias: estrogénios e gestagénios, que, administrados conjunta ou separadamente, se utilizam para evitar a procriação.

Que tipos de “pílulas” existem actualmente?

No momento actual existem diferentes tipos de “pílulas”, que diferem fundamentalmente pela proporção que cada uma delas tem de estrogénios e de gestagénios.

Segundo este critério existem:

a) Produtos exclusivamente compostos por estrogénios. Entre eles o mais utilizado é a chamada “pílula do dia seguinte”. Como o seu nome indica, administra-se posteriormente às relações sexuais.

b) Produtos exclusivamente compostos por gestagénios. Aos que contêm doses muito baixas de gestagénios chama-se “mini-pílula”.

c) Produtos combinados: são os de maior utilização. Estão formados por estrogénios e gestagénios em proporções diferentes.

Há outros contraceptivos hormonais diferentes da “pílula”?

Há os que se administram sob forma injectável, e também as implantações que se colocam debaixo da pele. Por via vaginal também se podem administrar contraceptivos hormonais, introduzindo-os com um dispositivo intra-uterino.

(in La reprodución Humana y su Regulación, de Justo Aznar Lucea e Javier Martínez de Marigorta)